Viajando de avião com seu animal de estimação

Gol

Limite de peso para viagem na cabine: 10kg total (animal + caixa de transporte).
INFORMAÇÕES GERAIS

Cães ou gatos devem ter no mínimo mais de quatro meses de idade e ser acomodados em uma caixa de transporte, que pode ser adquirida em lojas de animais (pet shops).

A caixa deve ter espaço suficiente para o animal dar uma volta completa em torno de si, ser de material firme, liso e resistente a vazamentos. Ela deve seguir determinações de padrão internacional, indicadas pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

A embalagem deve estar identificada com nome, endereço, telefone do cliente e código da reserva (Localizador).

 

PARA SOLICITAR O SERVIÇO
Para solicitar o serviço entre em contato pelo telefone: 0300 101 2001 (atendimento de segunda-feira a sábado, das 06h00 às 20h00). A solicitação do serviço deve ser feita com no mínimo 3h de antecedência. É cobrada uma taxa por trecho para este serviço, consulte antes.

 

DOCUMENTAÇÃO
Na hora do check-in, que deve ser feito com 2 horas de antecedência, o dono deve apresentar documentos de vacinação e atestados. CHEQUE COM A COMPANHIA COM ANTECEDÊNCIA.

 

NA CABINE DE PASSAGEIROS

Além de cães-guia, cão ouvinte e cão-assistente, acom​panhados de uma pessoa com deficiência visual, na GOL você pode levar seu cão ou gato de pequeno porte com você nos voos. Conheça as condições adequadas e regras para que a viagem de seu bichinho seja muito agradável:​

Apenas cães e gatos são permitidos – quaisquer outros animais de pequeno porte não podem embarcar.

A idade mínima é de 4 meses, e o animal deverá estar limpo, saudável e sem odor desagradável.

Só é permitido um (1) bichinho por passageiro, e um (1) por fileira de assentos, com no máximo quatro (4) por voo.

A solicitação do serviço deve ser feita com no mínimo 3h de antecedência.

gol-poltrona

O peso total da caixa de transporte + pet não pode ultrapassar os 10kg. Acima deste peso não poderá ser transportado na cabine de passageiros.

A caixa com o bichinho deverá será acomodada abaixo do assento da frente do passageiro, preferencialmente nos assentos da janela.

gol-kernnel

A caixa de transporte deve seguir as determinações de padrão internacional, indicadas pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo). Caso algumas das condições sejam descumpridas, a GOL poderá negar o embarque​

 

A GOL NÃO TRANSPORTA ANIMAIS NA CABINE DE PASSAGEIROS EM:

Voos Intenacionais;

Voos de companhias parceiras;

Voos interline e codeshare;

NO COMPARTIMENTO DE CARGA

Caso seu bichinho de estimação ultrapasse as dimensões ou peso máximo para viajar na cabine não se preocupe, ele voa com você, apenas em outro ambiente. Confira as condições:

ATÉ 30 KG – NO PORÃO DIANTEIRO DA AERONAVE

Os animais que pesam até 30 kg são despachados no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros.

Filhotes da mesma ninhada, com idade máxima de 4 meses e 29 dias (pequeno porte) e pertencentes ao mesmo cliente, podem estar na mesma caixa de transporte, limitado a dois filhotes por caixa (nesse caso deverão ser despachados). Se os filhotes no dia do transporte estiverem com 5 meses completos, deverão seguir em caixas separadas.

A aplicação do sedativo fica a critério do cliente que deverá entregar o laudo do veterinário informando o tipo e quantidade de sedativo utilizado, a data e a hora da aplicação e o prazo de efeito do produto.

É cobrada uma taxa para o transporte – CHEQUE COM A COMPANHIA. É importante lembrar que as dimensões da caixa de transporte do animal não podem ultrapassar 86cm (A) x 122cm (L) x 135cm (C).

ACIMA DE 30 KG – GOLLOG
Caso o animal e a caixa de transporte juntos somem mais de 30 kg, ele deverá ser transportado como carga. Neste caso, a viagem é feita pela Gollog, o serviço de cargas da GOL.

A GOL NÃO TRANSPORTA NO COMPARTIMENTO DE CARGA AS SEGUINTES RAÇAS DE ANIMAIS:

Caninos da Raça Braquicefálicos, aqueles cujo focinho é bem achatado, ou seja, praticamente na mesma linha do nariz, conforme alguns exemplos: Buldogue Americano (American Bully) , Boston Terrier, Boxer, Griffon de Bruxelas, Pug Chinês, Chow Chow, Pug Holandês, Pug, Pequinês, Buldogue Inglês, Cavalier King Charles Spaniel, Buldogue Francês, Dogue de Bordeaux, Lhasa Apso, Shih tzu, entre outros.

Felinos da Raça Braquicefálicos, aqueles cujo focinho é bem achatado, ou seja, praticamente na mesma linha do nariz, conforme alguns exemplos: Persa, Burmês, Exótico, Himalaio, entre outros.

A GOL NÃO TRANSPORTA ANIMAIS EM:

Voos com mais de uma conexão, neste caso o animal deverá ser transportado como carga;

Voos de companhias parceiras;

Voos interline e codeshare;

Voos para Estados Unidos.

ATENÇÃO: O Aquipode não se responsabiliza pelas informações abaixo – confira com antecedência no site da GOL ou através do telefone 0300 101 2001 (atendimento de segunda-feira a sábado, das 06h00 às 20h00)

 

TAM

ATENÇÃO: O Aquipode não se responsabiliza sobre a atualização destas informações. Checar estas e outras informações (taxas, etc) no site da TAM ou através dos telefones 4002-5700 (capitais) e 0300 570 5700 (todo o Brasil).

Limite de peso para viagem na cabine: 7kg total (animal + caixa de transporte).
TRANSPORTE AÉREO DE ANIMAIS – COMO É FEITO?

O transporte aéreo de animais é permitido apenas para cães e gatos, e pode ser realizado de duas formas:

1) Na cabine de passageiros, somente em Classe Econômica, não sendo permitido em assentos Espaço +.
2) No compartimento de carga.

Ambas opções possuem controle de temperatura e pressão, e no compartimento de carga a iluminação é mantida.

CONDIÇÕES GERAIS

Para a viagem, o animal deve ser acomodado em uma caixa de transporte (kennel), que pode ser adquirida em lojas de animais (pet shops).

Um número limitado de animais é transportado por aeronave, sendo que cães e gatos não são embarcados próximos no mesmo voo, dadas suas incompatibilidades naturais. Para o transporte no porão, animais de espécies diferentes não poderão embarcar no mesmo voo.

Não é permitido o transporte de filhotes que tenham menos de 08 semanas de vida e também o transporte de animais em estado de prenhez (gravidez) ou que tenham realizado trabalho de parto nas últimas 48 horas. Animais no cio podem ser transportados, mediante utilização de material absorvente (jornal, serragem etc.) dentro da caixa de transporte.

Por decisão da autoridade sanitária dos Estados Unidos, a idade mínima para transporte de animais a este país é de quatro meses.

PROCEDIMENTO

O procedimento para viajar é o mesmo para o passageiro e seu animal: há o check-in, a espera, o embarque e o desembarque.

No check-in, será verificado se todos os requisitos necessários para a viagem estão em ordem.

Em seguida, o animal é encaminhado para a espera, em um lugar pouco movimentado e abrigado até poder ser colocado no avião. Durante o embarque, o manuseio das caixas de transporte é realizado com todo o cuidado. Dentro da aeronave, as caixas são alocadas de modo que a ventilação das mesmas não seja prejudicada e possibilitando o fácil acesso aos animais. As caixas de transporte são mantidas presas no chão do compartimento de carga por cordas e cintos. Se o animal estiver viajando com o proprietário na cabine, ele deverá ser colocado abaixo do assento e deve permanecer dentro da caixa durante toda a viagem.

No desembarque, caso tenha viajado no compartimento de carga, o animal será retirado do avião e colocado na área de retirada das bagagens; não se preocupe, ele não será colocado na esteira.

Se em alguma destas etapas houver longos atrasos, os funcionários da empresa são orientados a fornecer ao animal água e comida, sempre que necessário.
RESERVA

Para realizar sua reserva, entre em contato com a Central de Vendas, Fidelidade e Serviços pelo telefone 4002-5700 (capitais) e 0300 570 5700 (todo o Brasil), com antecedência superior a 48 horas do horário do voo, quando o transporte for no porão e com 24 horas de antecedência quando o transporte ocorrer na cabine junto com o passageiro. No caso de conexão com outras companhias aéreas, a aceitação do animal dependerá de prévia consulta e da autorização das mesmas.
QUEM PODE E QUEM NÃO PODE VIAJAR?

Nem todos os animais são ou estão aptos para uma viagem aérea, e isso não depende apenas de seu estado de saúde; restrições especiais aplicam-se aos animais de certas raças, idade ou condições físicas e comportamentais. Uma consulta prévia com um médico veterinário é imprescindível.

Algumas raças de cães e gatos possuem restrições, como animais de focinho curto, chamados braquicefálicos (confira raças abaixo).

CÃES BRAQUICÉFALOS:
Affenpinscher, American Staffordshire Terrier, Boston Terrier, Boxer, Brussels Griffon, Buldogue, Bullmastife, Cane Corso, Chow Chow, Dogue de Bordeaux, English Staffordshire Bull Terrier, Japanese Chin, Lhasa Apso, Mastim, Pequinês, Pit Bull, Presa Canario, Pug o Carlino, Shar Pei, Shih Tzu, Tibetan Spaniel, Toy Spaniel Ingês

GATOS BRAQUICÉFALOS:
Burmês, Exotic Shorthair, Himalayo, Persa

Os animais braquicefálicos possuem dificuldade em manter sua temperatura corporal especialmente em decorrência de uma respiração mais restrita, por isso necessitam de caixas maiores para melhorar a circulação de ar quando transportados na cabine com o passageiro, sempre respeitando a medida máxima permitida.

Devido a estas características animais braquicefálicos não são aceitos para transporte como carga, no compartimento de bagagem da aeronave. É possível transportar estas raças junto a TAM Cargo em rotas 100% domésticas dentro do Brasil.

A temperatura também é um fator de restrição de transporte de animais. Viagens a regiões com temperaturas muito extremas não são recomendadas, esteja atento à época do ano na qual realizará a viagem, bem como o horário do voo e as temperaturas nos locais de saída e de chegada.

A TAM se reserva ao direito de recusar o transporte de animais que apresentem certas condições ou comportamentos. Consulte sempre a companhia aérea antecipadamente.

RAÇAS DE CÃES CONSIDERADAS PERIGOSAS
Desde 05 de Fevereiro de 2015, raças de cães consideradas perigosas não são mais aceitas para transporte no compartimento de bagagem em voos TAM e LAN. Este procedimento visa atender aos padrões de segurança no transporte de animais.

Akita Inu, Boxer*, Bull Terreir, Bulldog Americano, Bull Mastiff, Dogo Argentino, Dogue Canario*, Dogue de Bordeaux*, Fila Brasileiro, Karabash, Mastiff Inglês, Mastiff Napolitano*, Mastiff*, Pit Bull Terrier, Pit Bull Terrier Americano, Rottweiller, Staffordshire Bull Terrier*, Staffordshire Terrier Americano*, Tosa Japonês

Estas raças poderão ser transportadas através da TAM Cargo ou da LAN Cargo que possuem as condições necessárias para realizar este tipo de transporte seguindo a regulamentação de Animais Vivos da IATA.

*Estas raças são braquicefálicas e por este motivo não são aceitas pela LAN Cargo e nem pela TAM Cargo, exceto em rotas 100% domésticas dentro do Brasil em que podem ser transportadas pela TAM Cargo.

 

PREPARANDO-SE PARA A VIAGEM – DOCUMENTOS

É extremamente importante que haja a consulta com o veterinário com antecedência, pois alguns dos documentos exigidos são preenchidos por ele e precisam ser datados de vários dias ou alguns meses antes da viagem.

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é um documento oficial, emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, utilizado para o trânsito nacional e internacional de cães e gatos. Ele reúne todos os documentos listados na tabela abaixo, e pode ser utilizado para os países que o aceitem, em substituição ao Certificado Veterinário Internacional (CVI), e no Brasil, no lugar do atestado de saúde.

A vantagem no uso do Passaporte é uma maior agilidade e segurança zoosanitária no desembaraço de cães e gatos durante as viagens.

 

DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA VIAGENS DOMÉSTICAS:

Certificado de vacinação antirrábica.

Atestado de saúde.

No embarque, será necessário o preenchimento de formulário de responsabilidade pelo transporte do animal.

 

DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA VIAGENS INTERNACIONAIS:

A documentação para voos internacionais varia de acordo com o país de destino. Veja abaixo.

tam-documentos

– Certificado Zoossanitário Internacional (CZI): é o documento emitido pelo serviço sanitário oficial do país de origem ou de procedência do animal, com o intuito de garantir o cumprimento das condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional de animais até o país de destino. A validade deste documento é de acordo com as regras de cada país.

Endereço para adquirir o CZI em São Paulo: Aeroporto de Guarulhos – Setor Ministério da Agricultura Serviço de Sanidade Animal – Telefax: (11) 2445-3683

– Atestado de saúde: emitido pelo veterinário. A validade do atestado é de 10 dias a partir da data de emissão. Carteira de Vacinação: certificado de vacinação antirrábica exigido para animais com mais de 03 meses de idade. Essa vacina precisa ser aplicada de 30 dias a 01 ano antes do embarque. Filhotes que tenham menos de 03 meses de vida e que, portanto, não tenham tomado a primeira vacina, serão embarcados somente com autorização expressa do veterinário.

– Microship/tatuagem: o microship é implantado no corpo do animal, contendo um código alfa numérico de identificação. Ao invés do microship, uma tatuagem é aceita com as mesmas informações, normalmente localizada atrás da orelha do animal. Quando o animal é tatuado ou quando possui um microship implantado, o dono recebe uma etiqueta que deverá ser apresentada no ato do check-in.

– Laudo de Sorologia: é o envio de amostra de sangue para um dos dois laboratórios credenciados pela União Europeia (UE) no Brasil (Laboratório de Zoonoses e Doenças Transmitidas por Vetores do Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo e Instituto Pasteur) ou para outro laboratório igualmente credenciado pela Comunidade Europeia no exterior. ATENÇÃO: É necessário aguardar 90 dias entre a data da coleta do sangue e o embarque do animal.

A documentação deverá ter uma via original e uma cópia para ser anexada a caixa de transporte. No embarque, será necessário o preenchimento de formulário de responsabilidade pelo transporte do animal.

 

PREPARANDO-SE PARA A VIAGEM – CAIXA DE TRANSPORTE

A caixa de transporte precisa seguir algumas determinações de padrão internacional, indicadas pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

De modo geral, a caixa de transporte precisa ser resistente, bem ventilada, com tamanho adequado ao animal (para que ele consiga dar uma volta completa em torno de si), não pode abrir facilmente, a porta não pode estar trancada com cadeado ou lacre, deve haver um pote acessível por fora para o fornecimento de água, deve estar forrada com material absorvente (jornal, por exemplo), mas sem outros objetos soltos, deve ter alças, não pode ter rodas. A identificação da caixa também é importante. Ela deve estar etiquetada com algumas indicações (“Animal vivo” e “Este lado para cima”), bem como com a identificação completa do animal e do passageiro (nome, telefone, identificação do voo). Se quiser, cole uma foto atual do cão ou gato na parte externa da caixa. Para garantir a segurança, os animais não devem usar focinheiras e/ou enforcadores. Cuidado também com coleiras com penduricalhos ou demasiadamente largas ou justas.

 

ANIMAIS VIAJANDO NA CABINE:

A caixa deve seguir as seguintes limitações: o peso total não deve exceder 7kg e as dimensões máximas permitidas são 36cm de comprimento, 33cm de largura e 19cm de altura para caixas rígidas e 36cm de comprimento, 33cm de largura e 23cm de altura para caixas caixas soft “sacolas”.

tam-caixa1

 

tam-caixa2

ANIMAIS VIAJANDO NO COMPARTIMENTO DE CARGA:

A caixa deve seguir as seguintes limitações: o peso total não deve exceder 45 Kg em voos de/para América do Norte e América do Sul e 32 Kg em voos de/para Europa. As dimensões máximas permitidas são 94cm de comprimento, 64cm de largura e 61cm de altura.

tam-caixa3

ATENÇÃO!

O peso máximo permitido por animal é de 45 kg, exceto se você estiver viajando para ou a partir da Argentina, Europa ou Oceania, onde o peso máximo é de 32 kg (caixa de transporte incluída nos dois casos). Caso o peso máximo por rota seja ultrapassado, seu animal deverá ser transportado pela TAM cargo. Se você está voando a partir do Reino Unido, deverá transportar o seu animal através da TAM Cargo, mas se a sua viagem é com destino ao Reino Unido, não será possível transportá-lo devido à normativa legal do país.

Para mais informações, consulte a Central de Informações TAM CARGO: 3273-2800 (São Paulo) ou 0300 115 9999 (demais localidades).

 

TREINAMENTO PRÉVIO DO ANIMAL

O segredo para uma viagem tranquila está no treinamento prévio (idealmente algumas semanas antes do embarque), visando a adaptação do animal à caixa de transporte, ao confinamento e à separação do dono por períodos prolongados.

Para esse treinamento, sugerimos que sejam seguidos alguns passos:

Transforme a caixa de transporte em um local familiar para o seu animal, deixe-a sempre aberta, acessível e o tempo todo disponível em um local da casa onde o animal costuma permanecer.

Torne-a um local agradável para o animal, coloque um pano ou colchonete dentro dela, preferencialmente que o animal já tenha utilizado anteriormente.

Faça dela um local de experiências agradáveis para o seu animal, ofereça petiscos saborosos dentro dela, ossos para roer e brinquedos.

Diariamente, ofereça ao menos uma das refeições de seu animal na caixa de transporte e, à medida em que ele se mostre confortável enquanto come lá dentro, feche a portinha. Abra quando o animal terminar, desde que não esteja agitado, pedindo para sair ou tentando forçosamente abri-la. Gradativamente, aumente o tempo em que ele permanece dentro da caixa, mesmo já tendo finalizado a refeição, mantendo-se próximo na maior parte do tempo enquanto o supervisiona.

Uma vez acostumado com o esquema de alimentação dentro da caixa de transporte, comece a colocar o animal dentro dela em outros momentos, preferencialmente quando estiver tranquilo. Gradativamente, aumente o tempo de permanência em repouso dentro da caixa. Procure manter-se afastado, para que o animal vá também se acostumando com a sua ausência enquanto confinado. Alguns dias antes da viagem, passe a colocar o animal dentro da caixa de transporte mais frequentemente, em um esquema de rotina (para o cochilo da tarde, por exemplo). Deixe-o permanecer lá por algumas horas. Afaste-se e eventualmente volte para verificar como ele está. Estando quieto, elogie ou ofereça um petisco pela grade da porta. Não libere se estiver agitado, latindo ou tentando abrir a porta (a menos que realmente não esteja bem). Sem dizer nada, apenas aguarde e libere-o tão logo ele se acalme.

Desde que você use a mesma caixa, o dia da viagem corresponderá a uma sessão de treinamento. O contexto será diferente e haverá novos elementos não familiares ou mesmo estressantes, mas a caixa de transporte funcionará como seu porto seguro.

PREVENINDO O ESTRESSE SEM MEDICAÇÃO – POR QUE NÃO USAR CALMANTES?

Medicações calmantes não são permitidas para animais em viagens aéreas, pois trazem consigo a possibilidade de efeitos colaterais, tais como sedação excessiva, relaxamento muscular ou até excitação e ansiedade paradoxal.

 

DICAS PARA O EMBARQUE

Alguns cuidados são importantes antes e no momento do embarque.

Previamente à viagem, dê banho e apare as unhas do seu cão; no caso de gatos, dispense o banho, apenas aparando suas unhas caso estejam realmente grandes.

Ofereça alimentos leves ao animal no dia da viagem. A última refeição deve ocorrer até 2 horas antes do embarque.

Água pode ser oferecida à vontade até o momento do embarque. Passeie com seu cão e o incentive a urinar/defecar, para gatos, incentive a urinar/defecar, porém não force.

Brinque e ofereça carinho ao animal.

Evite embarcar com muita antecipação, a menos que o animal não se mostre tranquilo no ambiente do aeroporto.

 

DICAS PARA O DESEMBARQUE

No desembarque e no dia após a viagem, alguns cuidados são importantes. Ofereça alimentos leves ao animal e oferte água à vontade. Passeie com seu cão ao sair do desembarque, estimulando-o a urinar/defecar.

Prefira ir direto para o local de destino, sem paradas. Observe o comportamento do animal após a viagem, é possível que, mesmo em casa, este se mostre agitado ou apático. Caso não retorne a seu estado normal, procure um médico veterinário

ATENÇÃO: O Aquipode não se responsabiliza pelas informações. Entrar em contato com a TAM para confirmar os dados fornecidos.

Você também pode gostar...

1 Comentário - Veja os Comentários em Cartas do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog Aqui Pode